A ciclovia do Danúbio – De Viena a Passau

IMG_7937

Trecho da ciclovia do Danubio cercado de montanhas

Viena – Zwentendorf – Krems – Marbach – Linz – Waldkirchen – Passau

Ao sair da espetacular cidade de Viena era chegada a hora de pedalar um pouquinho pela ciclovia do Danúbio (Donauradweg, em alemão), tendo o sul da Alemanha como destino – mais precisamente a cidade de Passau. Falo pedalar um pouquinho pois esta ciclovia tem mais de 2 mil quilometros de extensão, do sudoeste da Alemanha até o Mar Negro e no meu caso, pegaria quase todo o trecho da Áustria e um pedaço da Alemanha, ou seja, menos da metade.

IMG_7616

Fugindo um pouco da ciclovia até o caminho de Gottweig, entre vinícolas, perto de Krems

Saí da capital numa manhã tranquila. A chuva que havia caído no dia anterior parecia que não iria mais me incomodar, pelo menos não por enquanto. Acompanhei o canal do Danúbio até as margens do rio propriamente dito, onde desembestei a pedalar. Para ser sincero, o primeiro trecho, até Tuln, não me interessava muito. É sem dúvida um caminho bonito e agradável, mas não era uma novidade para mim, já que era a reprise (só que no se

IMG_7888

Placa indicativa da rota de peregrinação conhecida como Jakobsweg

ntido contrário) da minha chegada a Viena. Minha primeira parada para acampar foi em Zwentendorf, quando finalmente descobri que não é tão fácil assim armar uma barraca em qualquer lugar. Foi o primeiro contato com as urtigas, plantas sem-vergonha que estão por toda a parte e deixam sua pele ardendo e coçando, isso se você não for alérgico. Algumas pessoas dizem que para uma pessoa alérgica uma exposição muito grande a essas plantas pode até matar, outros dizem que se você cozinhá-las elas perdem as propriedades sacanas e se tornam comestíveis. Não queria morrer ou comer urtigas, estava feliz com as coisas do jeito que estavam, e decidi apenas acampar em outro lugar.

IMG_7744

Entre vinícolas

No dia seguinte cheguei à Krems. Para quem viaja pelo Danúbio é uma parada obrigatória, assim como Melk. As duas cidades possuem mosteiros beneditinos (existe até uma rota ciclistica específica, a Jakobsweg) de tirar o fôlego, além dos centros muito charmosos e da possibilidade de gastar muito pouco em acomodação, acampado em lugares apropriadoas às margens do rio. Os preços dos campings por aqui variam de EU8,00 a EU12,00, o que vale a pena quando você quer tomar um banho, lavar suas roupas e acessar a internet, por exemplo. Foi exatamente o que eu fiz. Roupas limpas, papo com amigos e familiares pelo Skype e segui viagem. Vale lembrar que se os campings são baratos e acampar na floresta (apesar de proibido) é de graça, mas em geral a Áustria é mais do que a Alemanha e muito mais do que a República Tcheca (o país mais barato até agora).

IMG_7601

Banheiros ao longo da ciclovia

Boa parte da ciclovia do Danúbio, principalmente nas pequenas cidades da Áustria, corta uma infinidade de vinícolas, com parreiras por todos os lados. A paisagem é de cinema e se você é apreciador da bebida, ainda pode degustar sem gastar muito. Não sei da qualidade do vinho austríaco, mas acredito que mesmo para um bom entendedor, beber o que foi produzido na própria região deve ser um enorme prazer. A cerveja também é bastante cultuada por aqui, talvez menos do que na Alemanha, mas assim mesmo com um sabor especial. Se você procurar bem poderá se deparar com cervejas regionais, de produção local e preço acessível. Vale a pena! Aliás, as pequenas cidades austríacas às margens do Danúbio são um encanto.

IMG_7818

Abadia de Melk

Já mais próximo da Alemanha, pernoitei ao redor de Linz, uma cidade industrial, de porte grande para a região. Aproveitei para fazer compras no mercado e fuçar preços de acessórios para bicicleta. Tudo pronto e no dia seguinte mais uma vez tive dificuldades para acampar. As montanhas ficam muito próximas a ciclovia, e do outro lado tem o rio. Além de íngreme, o terreno é rochoso, o que dificulta muito na hora de fixar a barraca, e é claro que estava sempre com as companheiras urtigas, abundantes em toda parte! Acampar do lado da ciclovia também não era uma boa idéia, embora fosse tentador. O camping selvagem ali é proibido, e o fluxo de pessoas intenso. Não queria me envolver em problemas, por isso peguei uma estrada de jipeiros, uma verdadeira “picada”, e subi um pouco a montanha até achar uma espécie de recuo, para não montar meu acampamento na pseudo-passagem.

IMG_7857

Pausa para recuperar as energias

Fui frustrado na hora de tentar fixar minha barraca nas rochas e optei por armá-la assim mesmo, com a certeza de que não iria chover. Mas choveu, e muito! Minha noite foi um desastre e no dia seguinte prometi a mim mesmo que sempre iria acampar num lugar perfeito, por mais que isso me custasse o dia inteiro de busca. Este que seria meu último dia de pedal na Áustria amanheceu ensolarado, mas com temperatura baixa (o que tem acontecido sempre que chove). Guardei minhas coisas, ainda molhadas e segui viagem, meio desconsolado e com indicações de uma possível gripe. Devo dizer que fiquei um pouco abalado, mas segui convicto de que as coisas iriam melhorar. Ao parar em uma hospedaria às margens do rio, pedi por um café preto, bem quente, para ver se acordava. Bati papo com a vendedora e ela disse que o café era cortesia. Também me ofereceu dois pãezinhos, manteiga e geléia. Como é que eu poderia ficar de mal-humor depois disso???

IMG_7784

Na Abadia de Melk

Dali pra frente meu caminho foi perfeito. Pude contemplar um trecho do Danúbio repleto de montanhas, com um clima delicioso e apenas algumas pequenas vilas no caminho. A chegada a Passau, já na Alemanha, foi ótima e a cidade também é bem bacana. Me instalei em um albergue localizado no interior de uma antiga fortaleza, no alto da montanha, e pude descansar e colocar minhas coisas em ordem, assim como a minha cabeça. Seria o começo de uma nova etapa e a saudade da Áustria já começava a se mostrar presente.

IMG_7887

Perto de Linz, a marca dos 2 mil

_MG_7833

Acampando as margens do Danúbio – as vezes eu acerto!

IMG_7695

Acesso ao centro de Krems

Advertisements

2 responses to “A ciclovia do Danúbio – De Viena a Passau

  1. Ai caramba Du, perrengue é sempre ruim passar por ele, mas sempre aprendemos algo de bom! Delícia de lugares que vc tem passado, muito lindos!!!!!!!!!! Saudades
    Bjs
    Jayana

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s